segunda-feira, 20 de abril de 2009

Por sua vinda...





Por sua vinda.
Pelas flores curadoras que ele descobriu. Por sua compaixão e compreensão. Por seu poder de cura pessoal. Por seu senso de humor. Por sua coragem decidida. Por seu interesse vital e alegre pelas coisas simples da vida. Por seu exemplo inspirador e sua instrução pessoal. Por sua presença permanente conosco. Por seu auxílio e orientação contínuos. Nós a sua equipe, agradecemos ao Grande Criador por tudo.
Mary Tabor

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Meditando sobre Water Violet





Uma corrente de águas violáceas, iluminadas, cintilando, como em um sereno regato cristalino, emanando do Chakra Frontal... E esse capilar se une a muitos outros, formando uma única artéria, que leva todos os espíritos a desaguarem na mesma foz, o Mar da Consciência.

Water Violet é o floral da Consciência, e não do Conhecimento. A Consciência é a “sabedoria natural”, do mesmo tipo que se encontra na arte praticada pela abelha, que, sem aprender, executa com perfeição a sua tarefa, estando plenamente conectada ao todo de sua colméia. Entretanto, segundo o modo humano de pensar e analisar os demais seres naturais, a Consciência do ser humano se encontra em um estado muito mais aprimorado, pois tem consciência de possuir a Consciência.

Embora haja pessoas portadoras de muito conhecimento, todo ele não lhes permite sentirem essa conexão com o Todo, percebida somente por meio da Consciência. Em outras palavras, é possível ter muito conhecimento, e não ter Consciência. A Consciência é mais ou menos aquilo que se pode chamar “sabedoria do caipira” (conceito e ação que hoje em dia, infelizmente, parece que quase não existem mais!) que, mesmo sendo iletrado, muitas vezes tem uma percepção ao mesmo tempo simples e profunda das coisas.

Um traço característico da pessoa envolvida pelo espírito essencial Water Violet é o desejo arrebatador de auxiliar as demais na conquista dessa Consciência, porque está convicta de que esse é o caminho para que o Universo se torne mais harmonioso, um Lar que se deseje verdadeiramente habitar. Aliás, quem se identifica com essa essência tende à frustração, pois seus ideais são, frequentemente, mais elevados do que a maior parte das pessoas pode compreender. Essa pessoa tende a ser exigente ao extremo, primeiramente consigo mesma, e, em segundo plano, com as outras, já que imagina que não pode sozinha construir A VIDA, que anseia compartilhar. E, por causa de sentir-se incompreendida, muitas vezes se afasta do mundo, inicialmente por ressentimento, mas logo em seguida, já mais tranqüila pelo exercício da compreensão, continua distante para poder contemplar novas estratégias, com a finalidade de tentar, mais uma vez, atingir seu Objetivo Maior. Esse afastamento é interpretado pelos outros como arrogância, orgulho, prepotência, que efetivamente podem existir, mas, na maioria dos casos, é exatamente o oposto disso. A pessoa envolvida pelo espírito essencial Water Violet, como uma lagarta, reclui-se em crisálida, para, mais tarde, fazer manifestar-se a essência magnífica que emerge da casca seca e enrugada que é deixada para trás. Aqui está um paradoxo, pois a pessoa que tem Water Violet como sua marca encontra uma grande dificuldade de desprender-se de certas idéias, sendo obstinada, teimosa, muitas vezes até mesmo rabugenta e impaciente. Entretanto, o paradoxo se dissolve diante da explicação a seguir: a vida da pessoa que transpira a essência Water Violet é de dedicação a “uma causa”, que, para tal pessoa, é “A CAUSA”; de algumas coisas ela acha que é possível abrir mão, mas aquilo que a pessoa imbuída desse espírito floral considera fundamental, jamais o deixará, pois abandonar esses princípios é o mesmo que amortecer seu próprio ideal e permitir que se esvaia a aspiração à transformação pela qual sempre tem lutado.

Esse estado de ânimo costuma ser abalado por dúvidas, que causam angústias: “Estarei enganado? Estarei perseguindo uma utopia? E se, por acaso, minhas certezas forem nada mais que divagações de minha mente?” Tais tormentos se devem à necessidade que o espírito irrigado pela natureza essencial Water Violet tem de ser sincero consigo mesmo e não aceitar investir tanto esforço e seu próprio ser em um empreendimento ilusório. Ele encontra tranqüilidade apenas quando se lembra do princípio délfico: “Só sei que nada sei!” – que o filósofo ateniense Sócrates fez seu lema.

Pode acontecer da personalidade imersa na essência Water Violet não se sentir integrante deste mundo, como se tivesse uma intuição de pertencer a uma outra dimensão, nem melhor e nem pior, tão-somente diferente. Sente, por exemplo, que o êxtase pode vir muito mais de uma experiência de profunda simbiose espiritual do que por um relacionamento físico. Por isso, algumas dessas pessoas se alheiam o máximo que podem ao prazer sexual, que pode deixá-las deprimidas, porque o consideram uma pálida e efêmera imagem daquela Fusão Essencial. Esse exagero acontece apenas a poucas pessoas no mundo, a cada duzentos anos. A desvantagem dessa maneira de sentir é que essas pessoas estão constantemente insatisfeitas, uma vez que dão pouco valor às satisfações corpóreas, mas também não estão ainda em condições de atingir o ideal espiritual. No mesmo sentido, algumas dessas pessoas não pretendem gerar filhos carnais, mas construir uma legião de descendentes espirituais, nutridos pelo néctar de suas idéias e de seus ideais.

Para a pessoa absorvida pelo espírito essencial Water Violet, a Natureza é a Grande Mestra, a Mãe Generosa, o Seio Farto do Leite Cósmico, e de toda a Natureza essa pessoa admira especialmente o Espírito Vegetal; e entre os seres desta categoria é reverenciado principalmente o fenômeno da Árvore, tão silenciosa e ao mesmo tempo tão abundante de vida ebuliente, cuja exuberância somente o espírito consciente pode contemplar. A Árvore representa o armazenamento da Força Vital, que, em um momento de esplendor, lança botões que se abrem em flores, as quais são visitadas e polinizadas pelos insetos laboriosos, dando-lhes a oportunidade de originarem frutos, cujas sementes são princípios da continuidade da existência da Matriz, que se dissemina pela Eternidade, por todas as partes do Universo. Water Violet é, portanto, expansão.

Aqui está, sintetizado (mas sei que esta síntese está muito longa...), o afã inspirado pelo espírito essencial da flor Water Violet, em meu ponto de vista.

Enfim, não é fácil viver ao lado de quem possui espírito impregnado de Water Violet!!!

Ricardo Gonçalves - Prof. e Mestre em Filosofia

Seja bem-vindo!

Aqui é um espaço criado para postagens de textos que levem a uma reflexão sobre a História do Dr. Edward Bach, e suas essências.
Sempre uma novidade!!!